28 de julho de 2013

A mediocridade que assombra

Imagem: Google

Vez por outra vejo algum texto ou artigo meu circulando pela rede mundial sem citação ou crédito. Em geral não me irritam, ignoro.

Quase sempre são blogueiros que gostaram da mensagem ou sabe-se lá do que. Não me importo.

No entanto, quando vejo um texto meu circulando por sítios especializados em mídia, marketing e vendas motivacionais -- não sei o que é isso -- por “profissionais” que se dizem especializados na escrita, pós-graduado na USP ou em outras universidades de renome, sem ao menos dizer que copiaram e de onde, fico realmente espantado.

Quando esse texto exprime o que senti em um determinado momento, que pode até fazer sentido pra ele, mas que em hipótese alguma ele sabe o real significado, é assustador.

Sempre disse que plagiar é passar um recibo de incompetência e mediocridade.

Como exemplo comparem os textos “O tempo leva tudo” e seu quase homônimo “As ondas da sabedoria nas areias do coração”. Até que gostei mais do texto do meu leitor, confesso, mas não é esta a questão.

Seria muito interessante ler a tese que tais medíocres defenderam na universidade. Tenho certeza que acharia inúmeros colaboradores que jamais sonharam colaborar.

13 comentários:

  1. Cara, eu realmente estresso. Os meus artigos são escritos em sua totalidade por mim. Quando faço alguma referência, eu dou meu ponto de vista sobre o assunto, e linko o original.

    Eu vejo muitos textos assim. Citam os créditos no final achando que descaracteriza o plágio. Não! Você continua usurpando texto alheio.

    Quando vejo isso hoje, eu simplesmente procuro o original e comento por lá. Abraços e ótimo artigo.

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Que coisa!
    Eu, pelo menos, quando escrevi meus textos inspirados no teu, e lembrando desta frase: "O tempo leva tudo",fiz algo diferente, como se estivesse dialogando com você, após ouví-lo...rs...lembra? http://mulhernaidademadura.blogspot.com.br/2012/10/o-tempo-traz-o-tempo-leva-tudo.html e
    http://mulhernaidademadura.blogspot.com.br/2011/03/o-tempo-mulher-e-o-vento.html
    Seu texto é mesmo muito bom, inspira o diálogo ou pelo menos, a reflexão.
    Beijos,
    Vera.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, minha querida.

      Em momento algum me referi a pessoas como você, que além de escrever muito bem, são de índole ímpar. Apesar de poucas, pessoas assim não me incomodam, nem ao menos as ignoro.

      Um forte abraço!

      Excluir
  3. Parabéns Sergio pelo texto.

    Infelizmente, plágio é a palavra da incompetência da maioria dos blogueiros mal intencionados. Já tive diversas brigas na rede por causa de pessoas que plagearam ou copiaram meus artigos em seus blogues, e ignoraram a autoria.

    A desculpa deles é sempre a mesma, gostei e não achei por mal copiar. Ora, pensar dá trabalho, escrever também, o mais cômodo para muitos é utilizar os botôes ctrl c + ctrl v, e mudar o título sem a menor culpa.

    Mas, o que a maioria das pessoas não sabe é que é crime plagear ou copiar artigos de outras pessoas sem a autorização destes.

    Hoje todos os meus artigos possuem direitos autorais, e não poupo quem copia uma parte ou o texto todo, quem sabe assim as pessoas passem a ler e pensar mais, invés de se aproveitarem de artigos alheios?

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz muito bem. Com créditos, Êba! Sem, medíocre.

      Um forte abraço!

      Excluir
  4. Seu texto e muito interessante Sergio parabens se estamos fazendo um trabalho mediocre não estamos tendo bons resultados, os resultados só surtem efeitos quando começa a se fazer um trabalho bem feito e com amor isso conta e muito num ambiente de trabalho, sucesso pra vc e claro espero por seus comentarios em um dos meus blogs acessa aí

    http://juniorcis.blogspot.com
    http://junior-juniorcis.blogspot.com

    grato

    junior

    ResponderExcluir
  5. Sérgio,

    Lamento muito por isso. Eu imagino que minhas poesias estejam não só viajando pelo mundo, em outro idioma, como tambem com "autor" clandestino. Se algumas vezes nos decepcionamos com quem conhecemos, traição de confiança, imagine só... atraves da internet. Assusta tambem.

    Uma das coisas que mais me preocupa tem a ver com a imagem. Eu já vi, por exemplo, no Facebook, uma pagina falsa, com cerca de 800 amigos/seguidores, incluindo album de fotos. Só que a foto do perfil e o album de fotos era da namorada de um rapaz que trabalha comigo! Esta pessoa usava um nome diferente.

    Obs.: eu ADORO tudo que Vera escreve e a conheci, sabia?!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah! voltei por aqui e encontrei teu comentário Sissy! Que bonitinha... e já sabe, se meu livro for publicado, você será uma das primeiras, juntamente com o Sérgio, a receber um exemplar...rs...Só que, nos últimos dias tanta coisa acontecendo que ainda não consegui colocá-lo no correio. De qualquer modo, torçam por mim. Abraço afetuoso aos dois.E bom início de semana!

      Excluir
  6. A mediocridade como o nome ja diz é tentar ficar na média ... entretanto quando não tenta ser melhor, sempre vai ficar abaixo da média ....

    ResponderExcluir
  7. Encontrei o texto acima e aquele quadro me chamou à atenção e me fez sorrir pela verdade nele contida, há tanta coisa para escrever que não há necessidade de estar a copiar, ninguém é obrigado a escrever coisas bonitas ou com muitas palavras que para saber o querem dizer é preciso ir ao dicionário. muitas vezes coisas simples atrai mais visitantes. É certo que há muitos preguiçosos por aí.
    Abraço.
    Sou António Batalha.
    do Peregrino E Servo.

    ResponderExcluir
  8. Sérgio,
    Você disse tudo e eu me atrevo a acrescentar: podem roubar nossas frases e pensamentos, mas não roubam a nossa mente. Ela sempre continuará produzindo ideias, enquanto que o parasita apenas se alimentará daquilo que produzimos ou descartamos.
    Abraços,
    Herval

    ResponderExcluir